À partir R$465 Arquitetura . Maquete . Plastico

À partir R$465 Arquitetura . Maquete . Plastico

À partir R$465 Arquitetura . Maquete . Plastico

Arquitetura

Atualmente, o processo de construção de uma maquete física poderia ser facilitado adotando uma impressora 3D para a tarefa. Da mesma forma, objetos como outdoors decorativos poderiam ser inteiramente impressos, fazendo com que eles pudessem ser mais flexíveis, além de adotar materiais que poderiam ser reciclados posteriormente.

Porém, alguns arquitetos acreditam que, no futuro, casas inteiras poderiam ser montadas a partir de impressão em três dimensões. Inclusive, após montar o seu próprio modelo de impressora 3D, a “KamerMaker” (ou Construtora de Cômodos, em uma tradução livre), a companhia holandesa DUS pretende fazer uma versão de uma casa clássica da região.

KramerMakerA “KramerMaker” (Fonte da imagem: DW)

A impressora criada para tal possui seis metros de altura e é uma das maiores no mundo, sendo grande o suficiente para imprimir um quarto inteiro. Inclusive, ela tornou-se atração para turistas, que são motivados pela curiosidade de vê-la em ação. O material atualmente utilizado para a tarefa é plástico reciclado, porém no futuro outros produtos podem ser adotados para a função.

Outra empresa holandesa, a Universe Architecture, localizada em Amsterdã, também possui um projeto de uma casa, porém em um modelo um pouco mais abstrato. A ideia foi inspirada por um conceito irlandês conhecido como o “infinite landscape” (ou paisagem infinita, em uma tradução livre), no qual o chão se transforma no telhado e o telhado no chão.

Modelo desejado para a Modelo desejado para a “Landscape House” (Fonte da imagem: DW)

O arquiteto Janjaap Ruijssenaars acredita que a impressora 3D seja a melhor técnica para montar uma estrutura desse tipo. O objetivo é construir a o projeto, conhecido como “Landscape House”, sem sinais visíveis do seu começo ou do ponto final, para passar essa impressão de infinito no seu design.

O projeto será iniciado em 2014 com uma impressora chamada D-Shape, utilizando camadas de areia e um líquido com um agente especial para a fixação, e o custo está estimado em mais de US$ 6 milhões.