Publicado em

Conheça a impressora 3D que constrói prédios e casas em menos … – Revista PEGN


Revista PEGN

Conheça a impressora 3D que constrói prédios e casas em menos …
Revista PEGN
Nos últimos anos, a impressão 3D passou de uma curiosidade em feiras de tecnologia e se tornou uma opção viável para diversas empresas criarem todo tipo de coisas – a lista vai de chocolates até calçados esportivos. Agora, o MIT (Instituto de

e mais »

Publicado em

Robô demorou 14 horas para levantar uma estrutura de três metros

Robô demorou 14 horas para levantar uma estrutura de três metros (Foto: Reprodução Youtube)

Nos últimos anos, a impressão 3D passou de uma curiosidade em feiras de tecnologia e se tornou uma opção viável para diversas empresas criarem todo tipo de coisas – a lista vai de chocolates até calçados esportivos. Agora, o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) inventou uma maneira de usar a tecnologia para imprimir prédios também. Veja no vídeo abaixo.

saiba maisStartup brasileira usa impressora 3D para criar órgãos

O sistema desenvolvido pelos engenheiros do instituto consiste num braço de robô que esborrifa uma espuma capaz de se expandir, secar e se tornar sólida. Os sensores do sistema sabem exatamente o quanto a espuma crescerá e, conforme isso acontece, o braço do robô vai se levantando para completar o trabalho.
No vídeo divulgado pela instituição, um robô aparece construindo uma estrutura circular de três metros de altura em apenas 14 horas.
Segundo o MIT, o sistema pode ser usado para construir paredes de grossura variada e pode até utilizar outros materiais, diferentes da espuma. Uma vez que o sistema é completamente autônomo, pode ser uma ótima solução para construir abrigos em outros planetas ou na lua.

Publicado em

A Fórmula 1 é a categoria mais popular e mais glamourosa

A Fórmula 1 é a categoria mais popular e mais glamourosa do mundo do automobilismo, além de, claro, ser uma das mais avançadas tecnologicamente. Especialmente nos últimos anos, a briga das equipes participantes tem sido pela busca daquele detalhe que pode colocar uma delas à frente das demais, seja isso uma pequenina peça aerodinâmica ou um componente do motor.
Sendo assim, a McLaren, uma das equipes que mais vem sofrendo nos últimos anos e que começou 2017 vendo suas companheiras de grid com um rendimento muito melhor, resolveu agilizar um pouco o processo de pesquisa e desenvolvimento do seu time ao incorporar uma impressora 3D como um de seus equipamentos de box.

A máquina é um resultado de uma parceria com a empresa especializada no processo de impressão 3D Stratasys, para produzir peças como linhas hidráulicas reforçadas com fibra de carbono, cabos de rádio, dutos de refrigeração de freios e até mesmo elementos do aerofólio traseiro podem ser criados praticamente em tempo real – e que geralmente levam até semanas para ser feito.
O objetivo é agilizar o processo de produção e teste de novos componentes em vez de esperar que essas peças sejam feitas na sede da equipe, em Woking, na Inglaterra. A impressora é uma Stratasys uPrint SE Plus.

“Nós estamos modificando e melhorando nossos designs do carro de Fórmula 1 de forma consistente, então a habilidade de testar novos desenhos rapidamente é crítico para deixar o carro mais leve e, mais importante, aumentando o número de possíveis configurações que aumentem o desempenho do carro”, explica o diretor de design e desenvolvimento da McLaren, Neil Oatley.
“Se pudermos trazer novos desenvolvimentos para o carro com uma corrida de antecedência – saindo de uma nova ideia para uma nova parte em apenas alguns dias – isso vai ser a chave para que o MCL32 [o carro da temporada 2017] se torne mais competitivo”.

Publicado em

Os cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveram um novo

Os cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveram um novo tipo de impressora tridimensional gigantesca que pode ser um passo importante na direção de construções práticas em ambientes inóspitos, como outros planetas. Formada por dois braços robóticos (um hidráulico e um elétrico), a novidade consegue andar sobre esteiras similares às de um tanque de guerra e produzir domos com 3,6 metros de altura em menos de 14 horas.
A meta final é que a máquina funcione de forma autônoma para fazer ‘casas’ em ambientes inóspitos
A “impressão” do prédio é feita com a utilização de materiais carregados em um pequeno trailer acoplado na traseira da máquina – no caso do vídeo mais abaixo, a construção é feita com uso de espuma isolante. Por enquanto, o sistema é apenas um protótipo, mas os engenheiros do MIT planejam que sua impressora 3D robô seja totalmente independente no futuro. Se equipada com uma escavadeira para coletar terra e gelo e painéis solares para obter energia, ela poderia trabalhar por conta própria.
“[A meta final é] ter algo completamente autônomo, que você poderia enviar para a Lua, Marte ou a Antártida e ela iria simplesmente fazer esses prédios por anos”, afirma Steven Keating, um dos engenheiros que encabeçam o projeto. Dado tempo o suficiente, os seres humanos poderiam simplesmente chegar nos locais desejado e usar as estruturas como moradia ou instalações com fins variados.

Simples, porém sofisticado
Obviamente, as criações do robô são muito simples e não contam com a infraestrutura que temos em casas normais, como eletricidade, encanamento e piso. Ainda assim, a ideia é que a máquina consiga adaptar seus abrigos ao ambiente em que estiver, usando sensores embutidos de temperatura e luz e um radar capaz de penetrar o chão para obter informações a respeito do espaço onde for fazer suas construções.

Os bicos da impressora 3D podem variar a densidade da parede criada, permitindo que os prédios se adequem melhor ao clima ou a requisitos de carga. Uma vez que a estrutura básica seja feita pelo sistema, sistemas elétricos e outras “facilidades” poderão ser adicionadas no futuro. “Nosso sistema indica uma visão do futuro da construção digital que cria novas possibilidades tanto para o nosso planeta quanto para outros”, conclui Keating.
—–
E se o Tecmundo fizesse eventos presenciais para discutir os temas mais interessantes relacionados a tecnologia? Cadastre-se no Tecspot e saiba tudo em primeira mão!
Publicado em

Kadu Moliterno processa Luana Piovani após atriz relembrar casos … – Jornal Extra


Jornal Extra

Kadu Moliterno processa Luana Piovani após atriz relembrar casos …
Jornal Extra
Kadu Moliterno decidiu tomar providências sobre as acusações feitas por Luana Piovani a ele na semana passada em seu canal no Youtube. O ator entrou com um processo contra a atriz por calúnia, difamação e danos morais na 7ª Vara Cível da Barra da …

e mais »

Publicado em

BQ muda paradigma da impressão 3D com impressora Android – Pplware


Pplware

BQ muda paradigma da impressão 3D com impressora Android
Pplware
A BQ apresentou hoje três novidades que vão conquistar o mercado. Apostam na inovação e na criação de equipamentos distintos, que oferecem o máximo a um preço abaixo dos topos de gama. São dois smartphones, o Aquaris X e o Aquaris X Pro e uma
Witbox Go: BQ apresenta impressora 3D com AndroidExame Informática

todos os 21 artigos »

Publicado em

Narjara Turetta apoia Mario Gomes como vendedor na praia … – Jornal Extra


Jornal Extra

Narjara Turetta apoia Mario Gomes como vendedor na praia …
Jornal Extra
Narjara Tureta passou pela mesma experiência de Mario Gomes quando teve que vender coco numa praia da Zona Sul do Rio no início dos anos 2000. Ela estava sem contrato na TV e viu no trabalho ambulante uma maneira de driblar a crise financeira.

e mais »

Publicado em

Há uma nova explicação científica para o misterioso buraco da Sibéria – ZAP


ZAP

Há uma nova explicação científica para o misterioso buraco da Sibéria
ZAP
A cratera de grande dimensão que foi descoberta por pilotos russos há cerca de um ano em Yamal, na Sibéria, tem espantado os cientistas, tendo-se suposto até que teria sido causada por um meteorito. Mas, afinal, poderá ter uma origem termo-gasosa.