Publicado em

Palestras

Palestra ministrada na UFG em Goiânia


Engenharia

O uso mais “conhecido” das impressoras 3D no campo da engenharia certamente está na construção de protótipos, especialmente para companhias de celulares. Os modelos são muito mais baratos do que o produto final e servem para você testar itens básicos como o local apropriado para botões, se o item possui uma espessura adequada para não ficar desconfortável nas mãos, entre outras funções.

Além disso, o uso desse método também pode passar a ser utilizado na criação de diversos itens como injetores de combustível e carapaças para motocicletas. Ivan Sentch, um programador que vive em Auckland, na Nova Zelândia, começou a imprimir peça a peça uma réplica de um Aston Martin DB4, um modelo da série de 1961. O molde está em fase de produção ainda e será preenchido por fibra de vidro quando for concluído.

Aston Martin DB4

(Fonte da imagem: Replica DB4 Project)

Outro projeto interessante foi a “Airbike”, criada pelo European Aerospace and Defence Group. A bicicleta foi montada com um processo semelhante à impressão 3D e pode pesar até 65% menos do que as estruturas existentes no mercado, mantendo a mesma força do aço ou do alumínio.

A AirBike

(Fonte da imagem: EADS)

Em maio deste ano, também foi realizado o primeiro teste com uma arma feita a partir de impressão em três dimensões. O projeto foi montado pelo grupo texano Defense Distributed, com uma licença do Departamento Norte-Americano de Álcool, Tábaco, Armas de Fogo e Explosivos (ATF).

A arma impressa

(Fonte da imagem: BBC)

Alimentação

A impressão 3D também vem ganhando espaço no ramo da alimentação. As ideias são variadas, servindo tanto para a confecção de esculturas de chocolate ou o doce de uma maneira geral, quanto abrindo caminho para fazer verdadeiras obras de arte com doces, como enfeites de bolo (à base de açúcar).

Porém, já existem impressoras capazes de criar macarrão, bolos, biscoitos e até mesmo hambúrgueres, trabalhando com materiais orgânicos. No futuro, espera-se que a impressão 3D possa ajudar na criação de novos sabores aproveitando as propriedades nutritivas de vários alimentos, gerando até mesmo combinações mais saudáveis.

(Fonte da imagem: Cornucopia)

Além disso, também há o apelo visual causado, pois um prato combinando texturas variadas pode se tornar mais atrativo mesmo para quem não aprecia o sabor de alguns alimentos.

Educação

Com relação à educação, uma impressora 3D pode ser utilizada para reproduzir itens para a utilização em escolas e universidades para auxiliar nos estudos. A ideia é bem ampla, variando de modelos topográficos de regiões à reprodução de animais ou itens existentes na fauna terrestre.

Cabeça de T-Rex decorativa

(Fonte da imagem: Namisu Shop)

Modelos de planetas e galáxias também poderiam ficar muito mais atrativos se fossem montados em uma impressora 3D. Uma ideia interessante desenvolvida nesse sentido foi a escultura de uma cabeça de um Tiranossauro Rex feita pelo estúdio Namisu. Embora essa seja uma peça que foi criada com propósitos decorativos, possivelmente modelos mais realistas também possam ser criados no futuro.

Diversas possibilidades

Claro que neste artigo foram abordadas apenas algumas ideias de uma ampla gama de itens já existentes ou em projeto. O fato é que a impressão em três dimensões é uma tecnologia ampla e que conta com diversas possíveis aplicações práticas para as mais variadas áreas, algo que não caberia tratar em apenas um artigo.

Além disso, como a impressão 3D é uma tecnologia relativamente nova, ela está em constante evolução e certamente muito ainda está por vir no futuro. Caso você queira conferir com detalhes como funciona uma impressora 3D, não deixe de ler este artigo completo sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *